fbpx

México sem igual: cozinha poblana

O México é,  sem duvida, um país extremamente rico culturalmente falando. Se partimos para a gastronomia mexicana, então,  falamos de uma riqueza impressionante, porém residindo no simples. E olha que eu nem estou falando daquela combinação de nachos + sour cream que a gente aprendeu a gostar com os americanos.  O país se tornou um destino muito procurado pelos foodies, sobretudo a região de Puebla, influenciada diretamente pelos indígenas, espanhóis e árabes, resultando numa cozinha de muita personalidade e sabores marcantes.

 

Mole_RaphaAretakis (1 de 1)

O grande ícone da culinária desse estado mexicano, indiscutivelmente, é o Mole Poblano, molho geralmente servido sobre carne de frango ou peru. Criada por freiras no período colonial, nos idos de 1680, a iguaria atualmente tem diversas formas de preparo, a receita desse molho chega a ser intimidante aos olhos dos cozinheiros de primeira viagem, pois reza a lenda que um mole pode levar algumas dezenas de ingredientes, quiçá uma centena, sobressaindo-se notadamente o chocolate e a pimenta. O resultado, no mínimo, é um intrigante molho, de perfume inconfundível.

 

Puebla_naminhapanela_RaphaAretakis (2 de 5)

As comidas de rua fazem os olhos de qualquer um brilharem: Cemitas, Chalupas, Tacos Arabes, Chicharrón, frutas frescas… Tudo apimentado. Sim, inclusive as frutas, que podem vir acompanhadas de uma espécie de pozinho de pimenta para ser polvilhado por cima de mamões, melancias, abacaxis… Ainda temos os helados, batidos ali no braço, na nossa frente, vendidos por um mísero peso. Puebla ainda é conhecida pelos seus doces, tendo uma rua totalmente dedicada a eles, a Calle de los dulces. Por fim, as cervejas artesanais da Cervecería 5 de mayo – Saga e Osadía –, que estão ganhando o mundo, feitas com a água pura da região de Atlixco, nos arredores de Puebla.

Puebla_naminhapanela_RaphaAretakis (3 de 5)

Puebla_naminhapanela_RaphaAretakis (4 de 5)

Simplicidade e paixão são as duas palavras que me remetem à cozinha mexicana, sobretudo a poblana, mas se eu tivesse que escolher só uma,  eu diria inigualável.

Em tempo: para uma viagem a Puebla sem sair da cadeira, dois instas: @soypoblanablog e @igerspuebla

rapha
Rapha Aretakis é travel writer e criadora do Raphanomundo. Recifense, acredita que o mundo é muito grande para continuar parada no mesmo lugar. Hoje vive em Curitiba após temporadas em Stuttgart, Berlim e São Paulo.



O que você acha?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1 Comment
  • Mariana
    agosto 7, 2015

    Que lindeza ler esse post! Morei em Puebla e é quase minha segunda casa. E claro, a comida não tem igual. Muito incrível seu post, bom pra mostrar que comida mexicana não é nada do que acreditam aqui.

    Morro de raiva quando me dizem “mas aqui tem um restaurante mexicano…” Me dá vontade de perguntar: só se tiver cemita e taco al pastor. :p

Anterior
Molho barbecue BBQ
México sem igual: cozinha poblana